Qualidade de vida e incapacidade relacionada à saúde de crianças com migrânea

Authors

  • Gabriela Natália Ferracini Universidade de São Paulo
  • Fabíola Dach Universidade de São Paulo
  • José Geraldo Speciali Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.48208/HeadacheMed.2012.32

Keywords:

Cefaleia, Crianças, Qualidade de vida

Abstract

A migrânea leva a uma redução da participação de crianças nas atividades de casa e de lazer e no rendimento escolar, além de comprometer os aspectos psicológicos, gerando um impacto negativo na qualidade de vida relacionada à saúde. Este estudo objetivou avaliar a incapacidade que esta condição causa na vida diária de crianças de 6 a 12 anos de idade de ambos os gêneros e se influencia a qualidade de vida. A amostra foi composta por 50 crianças com migrânea sem aura e 50 crianças sem histórico de cefaleia. Para verificar a incapacidade aplicou-se o questionário Pediatric Migraine Disability Score e para qualidade de vida o questionário Pediatric Quality of Life Inventory4.0TM. Os meninos perderam em média 13 (DP 26,36) dias e as meninas em média 15 (DP 22,43) dias sobre atividade e rendimento escolar, tarefas de casa e lazer, em três meses. De acordo com o grau de incapacidade, 19 (38%) apresentaram pouca ou ausência de incapacidade (Grau I), 17 (34%) leve (Grau II), sete (14%) moderada (Grau III) e sete (14%) incapacidade grave (Grau IV) sobre atividade e rendimento escolar, tarefas de casa e lazer. A qualidade de vida, pela percepção dos pais, é pior nas crianças com migrânea [IC95% (-16,92 – -6,18) p<0,01], mas na percepção das crianças é semelhante nos dois grupos. Quando se analisam separadamente os vários domínios do questionário, pela percepção dos pais, há diferenças nos domínios físico [IC95% (-15,24 – -1,88) p<0,01] e psicossocial [IC95% (-17,96 – -6,74) p<0,01]. Enquanto que pela autoavaliação das crianças, houve diferença nos domínios emocional [IC95% (-16,95 – -5,70) p<0,01] e escolar [IC95% (-15,90 – -5,74) p<0,01]. Não foi encontrada correlação entre os dias perdidos devido à migrânea e a qualidade de vida.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Gabriela Natália Ferracini, Universidade de São Paulo

Fisioterapeuta, doutoranda em Neurociências da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil

Fabíola Dach, Universidade de São Paulo

Doutora em Neurologia, Médica assistente do Ambulatório de Cefaleia do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (FMRP-USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil

José Geraldo Speciali, Universidade de São Paulo

Professor associado de Neurologia do Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil

Downloads

Published

31/12/2012

How to Cite

1.
Ferracini GN, Dach F, Speciali JG. Qualidade de vida e incapacidade relacionada à saúde de crianças com migrânea. HM [Internet]. 2012 Dec. 31 [cited 2021 Jul. 24];3(4):204-6. Available from: https://headachemedicine.com.br/index.php/hm/article/view/346

Issue

Section

Short Communication

Similar Articles

You may also start an advanced similarity search for this article.

Most read articles by the same author(s)