Efeito de um protocolo de exercícios craniocervicais na redução da frequência e intensidade das crises de migrânea em comparação ao grupo placebo – ensaio clínico randomizado

Authors

DOI:

https://doi.org/10.48208/HeadacheMed.2021.Supplement.3

Keywords:

Migrânea, Dor cervical, Exercícios craniocervicais, Eletromiografia

Abstract

Introdução

Pacientes com migrânea apresentam alterações musculoesqueléticas e dor cervical. Por meio da fisiopatologia da doença, é possível entender a relação entre a migrânea e a coluna cervical. Entretanto, a eficácia de exercícios craniocervicais em pacientes com migrânea ainda não foi verificada.

Objetivo

Verificar a eficácia de um protocolo de exercícios crâniocervicais na redução da frequência e intensidade das crises de migrânea.

Métodos

Foi realizado um ensaio clínico randomizado com follow-up de 3 meses. O grupo intervenção (n=21) realizou por 8 semanas um protocolo de exercícios craniocervicais, enquanto o grupo placebo (n=21) recebeu, durante oito semanas, aplicação de ultrassom terapêutico desligado na porção média do trapézio superior. Os desfechos primários foram frequência e intensidade das crises de migrânea, verificados pelo diário de dor. Os desfechos secundários foram o desempenho muscular no craniocervical flexion test (CCFT), força e resistência cervical, associados à eletromiografia de superfície. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética local (CAAE 56102016.4.0000.5440) e registrado no Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos (RBR-8gfv5j).

Resultados

Uma regressão linear mista foi realizada, com p<0,05 adotado. Não houve diferenças significativas para os desfechos primários após 8 semanas de tratamento e aos 3 meses de follow-up (p>0,05). Para os desfechos secundários, observou-se uma redução da amplitude da atividade eletromiográfica dos músculos escaleno anterior e trapézio superior nos últimos estágios do CCFT (p≤0,01) e dos músculos escaleno anterior e esplênio da cabeça durante o teste de resistência (p≤0,04) no grupo intervenção após 8 semanas.

Conclusão

A realização de exercícios craniocervicais não é superior ao placebo para reduzir frequência e intensidade das crises de migrânea. Entretanto, os exercícios promoveram uma melhor ativação dos músculos cervicais durante o CCFT e o teste de resistência.

Downloads

Download data is not yet available.

Downloads

Published

01/11/2021

How to Cite

1.
Benatto MT, Florencio LL, Bragatto MM, Dach F, Fernández-de-las-Peñas C, Bevilaqua-Grossi D. Efeito de um protocolo de exercícios craniocervicais na redução da frequência e intensidade das crises de migrânea em comparação ao grupo placebo – ensaio clínico randomizado. HM [Internet]. 2021 Nov. 1 [cited 2021 Dec. 1];12(Supplement):3. Available from: https://headachemedicine.com.br/index.php/hm/article/view/477

Issue

Section

Abstracts

Most read articles by the same author(s)

1 2 3 > >>