Avaliação da variante genética -889C>T da IL-1α na migrânea – análise parcial

Authors

  • Maria Paula Bertoletti Juliani Pontifícia Universidade Católica do Paraná Brasil (PUC-PR)
  • Giovana Ortiz Zendrini Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil
  • Amanda Brant Rocha Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil
  • Valéria Aparecida Bello Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil https://orcid.org/0000-0001-7919-6218
  • Regina Célia Poli Frederico Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil https://orcid.org/0000-0003-4631-4606
  • Aline Vitali da Silva Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil https://orcid.org/0000-0001-7797-9227

DOI:

https://doi.org/10.48208/HeadacheMed.2021.Supplement.9

Keywords:

Migrânea, Interleucina-1α, Variante genética, Fisiopatologia

Abstract

Introdução
A fisiopatologia da migrânea integra aspectos inflamatórios e genéticos, sendo a interleucina-1α componente deste
quadro.

Objetivos
Avaliar a frequência da variante genética -889C>T da IL-1α e sua associação com variáveis clínicas relacionadas
a migrânea.

Métodos
Estudo prospectivo do tipo caso-controle composto pacientes com migrânea e controles saudáveis. Os dados demográficos,
clínicos de classificação e características da migrânea foram coletados através de formulário estruturado.
Os participantes também responderam a questionários validados sobre ansiedade (STAIY2), depressão (IDB) e
incapacidade relacionada a migrânea (MIDAS). A avaliação genética foi feita com amostras de sangue ou saliva
que foram submetidas a Reação em Cadeia da Polimerase (PCR), seguida de eletroforese em gel de agarose 1,5%.
Dados categóricos foram analisados por teste de qui-quadrado ou Exato de Fisher e dados contínuos por teste t de
Student ou Mann-Whitney.

Resultados
Foram avaliados 156 participantes, sendo 73 com migrânea e 83 controles saudáveis. A variante -889C>T da IL-1α
não foi associada a aumento da suscetibilidade a migrânea quando avaliada nos modelos alélico, codominante,
dominante ou recessivo. O alelo C associou-se a maior frequência de osmofobia em pacientes com migrânea (65,5%
vs. 48,2%; p=0,038). Não houve associação com a classificação e outros sintomas associados a migrânea.

Conclusão
Não foi identificada associação entre a variante -889C>T da IL-1α e a suscetibilidade a migrânea e seu efeito
sobre a osmofobia deve ser melhor investigado. No entanto, presente trabalho é uma análise parcial cuja principal
limitação é o número amostral reduzido.

Downloads

Download data is not yet available.

Downloads

Published

08/11/2021

How to Cite

1.
Juliani MPB, Zendrini GO, Rocha AB, Bello VA, Frederico RCP, Silva AV da. Avaliação da variante genética -889C>T da IL-1α na migrânea – análise parcial. HM [Internet]. 2021 Nov. 8 [cited 2021 Dec. 1];12(Supplement):9. Available from: https://headachemedicine.com.br/index.php/hm/article/view/495

Issue

Section

Abstracts

Most read articles by the same author(s)