Migrânea e anticoncepcionais: riscos e autoconhecimento

Authors

  • Arthur Vilela Faculdade de Medicina de Barbacena FAME/FUNJOBE
  • Alexandre da Matta Machado Fernandes Faculdade de Medicina de Barbacena FAME/FUNJOBE
  • Gabriel do Nascimento Pacheco Faculdade de Medicina de Barbacena FAME/FUNJOBE
  • Giovany da Costa Sant-Ana Faculdade de Medicina de Barbacena FAME/FUNJOBE
  • Lucas Godoy de Sousa Faculdade de Medicina de Barbacena FAME/FUNJOBE
  • Lucca Faria Faculdade de Medicina de Barbacena FAME/FUNJOBE
  • Mauro Jurno Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.48208/HeadacheMed.2020.Supplement.62

Keywords:

Português

Abstract

Introdução
Os anticoncepcionais hormonais (ACH) são o método de maior prevalência entre as medidas medicamentosas, pois constituem o mais eficaz e reversível recurso de contracepção. Ademais, tais medicamentos também estão associados a uma maior prevalência de migrânea em suas usuárias, combinação essa comprovadamente apontada como fator de risco para desenvolvimento de doenças cerebrovasculares (DCV).
Material e Métodos
A presente pesquisa compreendeu um estudo transversal observacional. A amostra foi composta por 1000 mulheres, de 18 a 44 anos de idade que são usuárias do sistema público de saúde na cidade de Barbacena - MG. Foi aplicado a elas o ID-Migraine, formulário que contempla realizar o diagnóstico de migrânea, além de perguntas relacionadas ao objetivo do trabalho.
Resultados
Observou-se que das 1000 entrevistadas, 613 (61,3%) (IC 95% 58,0% - 64,0%) foram diagnosticadas como migranosas. Dessas, 305(49,7%) (IC 95% 45,7% - 53,7%) faziam uso de ACH. Das 305, 264 (86,5%) (IC 95% 88,2% - 90,3%) eram usuárias de ACH por prescrição médica, das quais 150 (57%) (IC 95% 50,8% - 62,8%) tinham conhecimento prévio do risco de desenvolver DCV com uso de ACH, e apenas 87 (32,9%) (IC 95% 27,2% - 38,6%) conheciam sobre a relação do uso de ACH associado à migrânea e o risco de desenvolvimento/agravo de DCV.
Conclusão
Observou-se que mesmo sob prescrição médica, grande parte da população estudada migranosa e usuária de ACH não tinha conhecimento sobre os riscos de seu uso, e que uma parcela ainda maior desconhecia os riscos de desenvolvimento/agravo de DCV com o uso de ACH e presença concomitante de migrânea. Evidenciando-se assim a necessidade de melhoria na atenção primária da mulher.

Downloads

Download data is not yet available.

Downloads

Published

30/11/2020

How to Cite

1.
Vilela A, Fernandes A da MM, Pacheco G do N, Sant-Ana G da C, Sousa LG de, Faria L, Jurno M. Migrânea e anticoncepcionais: riscos e autoconhecimento. HM [Internet]. 2020 Nov. 30 [cited 2021 Jun. 20];11(Supplement):62. Available from: https://headachemedicine.com.br/index.php/hm/article/view/148

Issue

Section

Abstracts

Similar Articles

1 2 3 4 5 6 7 > >> 

You may also start an advanced similarity search for this article.