Incapacidade funcional e cefaleia: impactos no cotidiano dos universitários

Functional incapacity and headache: impacts on daily life of university students

Publicado na 4ª edição de 2017

RESUMO Os fatores psicológicos influenciam no equilíbrio gerenciamento de situações que provocam sofrimento nos indivíduos, em especial as que estão relacionadas à dor e frequentemente contribuem para sua piora. A correlação entre cefaleia, ansiedade, estresse e distúrbios do sono, tem sido relatada em alguns estudos, mas a natureza exata destas associações e mecanismos subjacentes, permanecem pouco explorada. Objetivo: Analisar a prevalência de cefaleia nos universitários da área da saúde e sua associação com ansiedade, estresse, e qualidade do sono. Material e métodos: Estudo transversal, realizado com 340 universitários, dos quais 288 apresentavam cefaleia. Foram aplicadas escalas psicométricas de autorrelato e critérios da International Classification of Headache Disorders, third edition (ICHD-3?), para classificação da cefaleia. Foram utilizadas diferenças de médias, prevalência, obtidas pelo teste ?2 e odds ratio. Resultados: Apresentaram cefaleia 288/340 (84,7%), indicando maior prevalência os estudantes dos cursos de Saúde Coletiva e de Ciências Biológicas, na faixa etária de 25-43 anos, com 93,6% no sexo feminino (88,5%). O IMC com classificação de excesso e obesidade apresentou prevalência de 79,3%. O impacto foi constatado em 51,1% dos estudantes com presença de cefaleia. A ansiedade apresentou prevalência de 86,8%. O estresse revelou uma média menor para os estudantes com cefaleia e os maus dormidores apresentaram uma prevalência de 87,4%. Conclusão: A prevalência da cefaleia em universitários é alta e está associada significativamente à idade, ao sexo e à qualidade do sono ruim, impactando em mais da metade dos estudantes. Palavras-chave: Cefaleia;Ansiedade;Estresse;Transtorno do sono


ABSTRACT Psychological factors INFLUENCE the balance of managing SITUATIONS that CAUSE SUFFERING for INDIVIDUALS, especially those that are pain-related, and FREQUENTLY CONTRIBUTE to their worsening. The correlation between headache, anxiety, stress and sleep disorders has been reported in some STUDIES, BUT the exact NATURE of these associations and UNDERLYING mechanisms has been poorly explored. Objective: To analyze headache prevalence in UNIVERSITY health STUDENTS and its association with anxiety, stress, and sleep QUALITY. Material and methods: This is a cross-sectional STUDY performed with 340 UNIVERSITY STUDENTS, of which 288 had headache. Psychometric self-report scales and the International Classification of Headache Disorders, third edition (ICHD-3?) criteria were USED to classify headache. We USED differences of means, prevalence, which were obtained by the ?2 test, and odds ratio. RESULTS: A total of 288/340 (84.7%) had headache, with a higher prevalence of in PUBLIC health and biological sciences STUDENTS aged 25-43 years (93.6%), in females(88.5%). The BMI with classification of overweight and obesity showed a prevalence of 79.3%. The impact was FOUND in 51.1% of STUDENTS with headache. Anxiety scored a prevalence of 86.8%. Stress showed a lower average for STUDENTS with headache, and bad sleepers had a prevalence of 87.4%. CONCLUSION: The prevalence of headache in UNIVERSITY STUDENTS is high and is significantly associated with age, gender and poor sleep QUALITY, affecting more than half of the STUDENTS. Keywords: Headache; Anxiety; Stress; Sleep disorder


BAIXE O ARTIGO (Download the Article)
Clique Aqui (Click Here)